Quem não pode Nova York vai de Madureira

Eu me amarro nesta música do Zeca Baleiro. Ela tem um jeito bem brasileiro de ser. Bem, se não dá, ta de boa, até lá eu do um jeito. “Se não tem Empório Armani não importa vou na Creuza costureira do oitavo andar”. E acho que nós brasileiros somos assim mesmo, se ta tudo uma merda então a gente trabalha pra mudar e enquanto não muda a gente pega uma latinha e batuca um samba animado. E se não temos alguma coisa que gostaríamos damos um jeito de embromar “Quem não tem Las Vegas, vai no bingo de Irajá”.

Ela veio na minha cabeça duas vezes esse mês por causa do Canadá. A primeira foi vendo as decorações de natal dos shoppings e das lojas. É tanto pinheiro de plástico, neve de spray, Papai Noel vestido como se o Brasil fosse o pólo norte. Eu acho bonito, mesmo. Tem umas que se acham dignas de um Rockefeller Center, e se você ta sentindo falta de patinar no gelo em volta de uma arvore bem bonita e ursinhos de cachecol não tem problema, tem shopping com pista de patinação no gelo e patins de segunda-mão.

Mas eu me amarro mais quando a propaganda mostra um Papai Noel vermelho igual a um camarão, de short vermelho surfando em alguma praia enquanto tira férias do natal, bem mais Brasil. A decoração do natal congelado deixa pros países que congelam, né não? Fica até esquisito…, na mesma loja que tem placas de arvores verdes com flocos branquinhos tem também placas de praia, afinal estamos na moda verão, não é mesmo? Mas não importa pros brasileiros, tudo é festa.

Tem gente que acha ridículo. Eu só acho esquisito, mas o que mais esperar de pessoas que crescem vendo filmes de natal com neve? Se existe algum filme brasileiro de natal eu não lembro e provavelmente ele deve ter focado mais no espírito de natal do que no clima de natal…

Eu que cresci vendo Esqueceram de Mim mal posso esperar pro dia que passarei o natal em Nova York sem os meu pais. Enquanto isso eu já fiz os meus pais pagarem preu andar na pista de gelo do park shopping quando eu era criança e não podia ir pra Nova York, e foi mágico!

A segunda vez que eu não pude Nova York e fui de Madureira foi essa semana com o meu mais novo amigo Google Earth. Todo dia eu do um jeito de passear por Quebec ou Montreal usando o street view. E eu adoro quando a foto panorâmica seguinte foi tirada em outra época do ano. A mudança drástica da paisagem é fascinante. Um dia árvores verdes, pessoas de shorts, bares com flores na fachada, no passo seguinte a mesma loja já meio cinza, arvores com galhos secos e pessoas de cachecol, até eu sinto um friozinho….

E eu já estou com planos mirabolantes, vou marcar num mapa onde estou, dirigir melhor meus passeios e ver se eu tenho fotos panorâmicas de algum bairro com o aluguel acessível pra um recém chegado. E tem hora que eu me pego gostando mais de Quebec do que Montreal, simplesmente pelo número de árvores por metro quadrado… Mas a análise das cidades fica pra um outro post.

Anúncios

Sobre frozenburguers

Estatística e Geólogo procurando seu cantinho em Quebec!
Esta entrada foi publicada em Cidade, Viagem. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s