Pets in the Cabin – Viajando com os Pimpolhos

Bom dia!!! Neste início de ano minha linda sogrinha se formou!!! O orgulho da família!! E eu e o Dani não podíamos ficar de fora da festa. Então fomos de Belo Horizonte para Porto Alegre. E aproveitamos a oportunidade para levar o Tobias e a Luna também pois assim teríamos uma experiência de viagem antes do Canadá. 

O processo começou pela busca da empresa aérea. A GOL só transportava animais no compartimento de bagagem, não importando o peso. A AVIANCA transportava apenas um animal por aeronave, ele poderia ser levado na cabine e eles não cobravam a passagem do animal, desde que a sua bagagem mais o peso dele não ultrapassassem a carga permitida. Acabamos por escolher a TAM. Ela cobra caro pelo transporte do animal mas os dois yorks poderiam viajar com a gente na cabine e na mesma aeronave. Outro fator que nos ajudou a escolher é que cada empresa aérea tem um tamanho de caixa de transporte diferente. Comprar uma compátivel com as medidas da TAM, que é a empresa vinculada a Air Canada, poderia nos ajudar a poupar no futuro.

Foi um pouco chato encontrar um kennel nas medidas exigidas: largura 33cm, altura 25 cm, extensão 36 cm. A Luna ficou mais confortável nessa medida que o Tobias, mas como ele passou a maior parte do tempo dormindo na posição preferida: bolinha, ele não sentiu muito o aperto. 

Foram ao total 4 vôos. Dois de ida e dois de volta. Com conexão em congonhas. Então foi uma experiência bem completa, em termos de ver se eles segurariam o xixi por tanto tempo, se eles se estressariam com o barulho da decolagem e do pouso. Se latiriam toda vez que o comandante resolvesse fazer um anuncio, etc.

Eu tinha algumas suposições:

1- O Tobias ia ser o cão mais comportado do mundo. Dormiria a maior parte do tempo e iria viajar com o Dani.

2- A Luna iria comigo, pois como é agitada talvez fizesse barulho. Dos três meses que ela está com a gente (a Luna é adotada) ela teve mais convivência com a mamãe do que com o papai.

3- Qualquer latido seria resolvido rapidamente com uma chamada de atenção. Pois aqui em casa a rédea é curta. Ao mesmo tempo que somos carinhosos também somos rígidos e todos costumam elogiar a educação das crianças. O Tobias desce do sofá, vai pra caminha, deita, cumprimenta e não pede comida. A Luna, depois de três meses também ja desce do sofá, deita e vai pra caminha. E quando ela se confunde ela simplesmente segue o Tobias.

Vamos lá. O Check-in foi super demorado. A atendente precisou de ajuda do superior constantemente e nós quase perdemos o vôo mesmo tendo chegado lá 1h e 30min antes. No vôo da volta tiramos os cachorros das casinhas pra chamar mais atenção e para que o organizador da fila nos desse prioridade e deu certo,  e o check-in foi direcionado para uma atendente com experiência. Vamos pras suposições:

1- O Tobias ficou quieto dentro da casinha mas não conseguia relaxar, na hora de levantar vôo ele chorou. Baixinho, mas chorou. O problema foi resolvido no segundo vôo quando eu troquei com o Dani e ele foi comigo. Só de me ver constantemente ele não chorou mais.

Quando se viaja com pets na cabine não se pode reservar uma janela e um meio por exemplo. É obrigatório que os assentos sejam na janela. Na ida ficamos um em cada lado da aeronave, na volta ficamos um atrás do outro. Acho que se estivessemos ido assim desde o primeiro momento o Binho não teria chorado, porque ele poderia me enchergar pela outra arbetura do kennel.

 2 – A Luna só dormia. Ela só acordava na hora de pousar, simplesmente pelo barulho, e se dignava a mudar de posição e dormir de novo. Ah, eu não dei remédio pra nenhum dos dois.

3- O único problema que tivemos com latidos foi na volta. Quando estávamos esperando nosso vôo de conexão em São Paulo eu tirei os dois da casinha e eles ficaram vendo o movimento no nosso colo e depois dormiram, sem latidos até então. Mas fizeram um anûncio da chegada de um vôo super alto. A Luna levou um susto e ja acordou latindo. Todos que estavam a nossa volta levaram um mega susto. Tadinha, ela acalmou rapidinho, foi só um susto, mas enquanto não fomos embora ela sempre rosnava um pouco quando ouvia a mesma mulher anunciando outras coisas no alto-falante, mesmo comigo brigando com ela.

Descobrimos também outras coisas. Esses kennels macios são bem quentes pro animal, então nossos cachorros ficaram com muito calor durante o vôo, isso deve ter incomodado eles. Apesar de sempre pensarmos no conforto deles querendo uma casinha maior percebemos que isso dificultaria a viagem do pé numeração 43 do Dani. Ou seja, o Dani não fez uma viagem muito confortável. Apesar dos aviões internacionais terem mais espaço de nada adianta se comprarmos uma casinha maior. É bom ter as mãos livres pra entrar e sair da aeronave segurando melhor o kennel então sugiro usar mochila ao invés de bolsas de mão. Bem, acho que é isso. Se eu lembrar de mais alguma coisa eu escrevo. Abaixo segue fotinha deles dormindo no kennel pra nem tudo ser uma novidade no dia da viagem. Au Au Revoir!!

Anúncios

Sobre frozenburguers

Estatística e Geólogo procurando seu cantinho em Quebec!
Esta entrada foi publicada em Cães. ligação permanente.

4 respostas a Pets in the Cabin – Viajando com os Pimpolhos

  1. Viviane Berlim Bianchi diz:

    Olá, gente
    Obrigada pelo post, ajudou muito sobre o que esperar. Estamos com problemas tb, mas acho que para a gente pode ser um pouco mais complicado. Levaremos dois gatos, então não sei se serão os mesmos procedimentos, pq é um animal sempre mais arredio e assustado. Não sei se valerá a pena ir conosco na aeronave ou se devemos mesmo contratar uma empresa para transportá-los e recebermos os bichanos lá no Canadá.. EStá sendo um pouco difícil encontrar uma solução.

    • Oi Viviane,
      nome bonito o seu!! Até onde eu sei o procedimento de gatos e cachorros é o mesmo. Só com outros tipo de pets é que a dinâmica difere, tipo aves, roedores e etc. Ja vi gente levando gatos em viagens domésticas, e dando algum tipo de calmante receitado pelo vet. Este link é de um casal que resolveu usar os serviços de uma empresa pra transportar o gatinho da família. Não deu muito certo, mas pelo menos alguma idéia de gastos ja da pra ter: http://vachequebec.blogspot.com/2011/11/transporte-de-animais.html
      Abraços e boa sorte!
      Viviane

  2. Tenho dois cachorrinhos que são umas praguinhas com desconhecidos.
    Mas ainda bem que para viajar eles se comportam super bem. Eu sempre levo comigo um Acepran, mas nunca precisei dar. Eles dormem o vôo inteiro. A única hora que eles latem é na hora de tirá-los da bolsinha para passar no raio x, pois sempre os funcionários querem fazer um carinho, que eles rejeitam. Ah, latem também para passar na alfândega, o que sempre achei que me ajudou a ser despachada rapidamente! Mesmo lotada de bagagens, os fiscais me dispensam rapidinho… coisa boa não ter mala revistada e seguir para casa!

    Ah, a Copa Airlines também aceita que eles viajem na cabine. Acho que pode 1 na classe executiva e dois na econômica.

    À Bientôt!

    • Oi Carolina!
      Obrigada por comentar. Eu andei dando uma olhada nos vôos da Copa Airlines mas pra mim o problema é que a viagem é longa demais. Ja vi conexões com mais de 10 horas entre um vôo e outro. Affff. Mas é sempre bom ficar de olho. Adorei o truque da alfândega! kkkkkkkkk
      Até mais!!
      Viviane

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s